Como proteger o smartphone de Ciberataques?

Os ciberataques são cada vez mais comuns, especialmente nos dispositivos móveis. Seja com o intuito de roubar informações bancárias, dados pessoais ou aceder a outro tipo de informações confidenciais, os cibercriminosos, ou hackers, estão cada vez mais munidos de técnicas de penetração nos sistemas e métodos de evasão. 

Em 2021, os ciberataques aumentaram 81% em Portugal, pelo que se torna urgente continuar a sensibilizar e alertar para os perigos a que qualquer um está sujeito e para as boas práticas a adotar a fim de proteger os dispositivos de ataques que podem colocar em risco não só os seus dados pessoais, como também os das empresas a que pertencem. 

Neste sentido partilhamos algumas sugestões de boas práticas a adotar, para zelar pela proteção do dispositivo móvel é crucial para prevenir ciberataques:

  1. Fazer autenticação de dois fatores 

A autenticação de dois fatores é extremamente importante, pois é um recurso que exige duas confirmações de acesso: primeiro é pedida a senha definida anteriormente pelo utilizador e depois é enviado um código por SMS ou e-mail para autenticar. Garantir que as contas e aplicações têm este tipo de autenticação é fundamental para garantir a segurança de qualquer utilizador.

  1. Manter o smartphone atualizado

É muito importante garantir, com alguma regularidade, que o smartphone está com o sistema operativo atualizado. Regularmente, são lançadas novas versões de software, apps e dos próprios sistemas operativos, pois existem malwares com o intuito de explorar as suas debilidades. Além disso, estas atualizações têm como objetivo não só melhorar a prestação do sistema, como corrigir eventuais falhas e reforçar a segurança.

  1. Evitar abrir links enviados por e-mail ou SMS

A não ser que os links tenham sido enviados de uma fonte fidedigna, não devem ser abertos de maneira nenhuma. Estes links maliciosos costumam conter códigos que, uma vez acedidos, permitirão o acesso remoto ao dispositivo móvel. Além disso, estes links podem também servir para ter acesso aos contactos e histórico, aumentando a hipótese de roubo de informações pessoais ou burlas. 

  1. Ser cauteloso no acesso a redes Wi-Fi abertas

Sempre que possível, é preferível optar por utilizar os dados móveis ou um hotspot, pois as redes Wi-Fi abertas são uma excelente entrada para os cibercriminosos. Não havendo alternativa senão aceder a uma rede Wi-Fi pública, é importante garantir que não acede a páginas que contenham informação pessoal (entidades bancárias, redes sociais ou e-mail). 

  1. Mudar as palavras-passe com frequência

É fundamental que as palavras-passe sejam únicas para as várias contas que o utilizador possui, tenham diferentes tipos de caracteres – números, símbolos, letras, maiúsculas e minúsculas -, e sejam alteradas com alguma frequência. Esta é uma das formas mais importantes de garantir que as contas online estão seguras.

Dado que os smartphones são cada vez mais parte do dia-a-dia e são, neste momento, dos dispositivos mais utilizados para navegar na internet, é importante protegê-los e garantir a sua segurança. Todos os cuidados são poucos e, para evitar que informações confidenciais e pessoais caiam nas mãos erradas, precaução e segurança nunca são demais.


Publicações relacionadas